PQ2023

CÉLULAS DE TRABALHO

 

 

CÉLULAS DE TRABALHO

(em fluxo constante)

 

Giorgia Massetani

Ianara Elisa

Leônidas Soares

Livia Loureiro

Marcela Mancino

Michelle Augusto

Nadia Luciani

Renata Marques

Ricardo Malveira

Rodrigo Frota

Rosane Muniz

Stéphanie Fretin

 

 
PQBRASIL 2023

Os artistas abaixo compõem o Corpo Brasileiro que representa o Brasil na Quadrienal de Praga 2023, criando e colaborando nos trabalhos desenvolvidos em células de Trabalho.

 

 

CÉLULAS DE TRABALHO

 

 

 

Ana Hoffmann (Porto Alegre/RS)

Organizadora de desfiles de moda, performer e figurinista. Doutora e mestra em educação e especialista em pedagogia da arte pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora na Universidade Feevale, onde fez bacharelado em Moda. Pesquisadora no grupo Arte e Moda, vinculado ao curso de História da Arte (UFRGS) e no grupo ARCOE (Arte, Corpo e Ensino), vinculado à Pós-Graduação em Educação, linha de pesquisa Filosofias da Diferença em Educação (UFRGS). Desenvolveu projetos de figurino junto à Casa de Teatro de Porto Alegre, Cia Teatral Teatro Ofídico, Produtora Cômica Cultural e projetos independentes de performance. Líder do Comitê Cultura no grupo Mulheres do Brasil, ONG que busca estimular a participação feminina em várias frentes culturais, sociais e econômicas.

 


Giorgia Massetani (São Paulo / SP e Manaus / AM)

Cenógrafa e figurinista. Graduada em cenografia pela Academia di Belle Arti di Firenze, com especialização em técnicas plásticas. Na Itália, foi cenógrafa dos festivais de teatro Mercantia e ABC e de óperas no Maggio Musicale Fiorentino e no Festival Pucciniano. Desde 2012, participa do Festival Amazonas de Ópera, onde é cenógrafa residente. Em São Paulo, cria cenários e pinturas cenográficas para teatro e foi cenógrafa residente e responsável pela central técnica de produção do Theatro São Pedro. É ilustradora das revistas Piauí e Le Monde Diplomatique Brasil. Em 2021, foi cenógrafa, diretora de arte e ilustradora da ópera animada "O Corvo" e das óperas 'Três Minutos de Sol" e "Moto-Continuo". É sócia fundadora da Casa Malagueta Serviços de Cenotecnia e Cenografia e leciona pintura cenográfica na SP Escola de Teatro.

 

 

Ianara Elisa (Rio de Janeiro / RJ)

Cenógrafa, aderecista, figurinista e fotógrafa. Cursou Artes Plásticas (UnB), é formada em Cenografia (UNIRIO) e estudou design de interiores (Parsons - The New School, NY). Como fotógrafa, tem trabalhos artísticos e documentais em teatro e cenografia. Cenógrafa e figurinista desde 2009, foi assistente de Teca Fichinski, atuando em teatro, musicais, exposições, publicidade, filme documentário, série televisiva e camarote de carnaval. A partir de 2015, começou a trabalhar em audiovisual como cenógrafa e assistente de direção de arte de Oswaldo Eduardo Lioi, Dina Salem Levy e Elsa Romero. Fez parte das ocupações artísticas, "MicroTeatro", "QueLegado" e do projeto "Ovárias". Desde 2017, assina a direção de arte de curtas-metragens, destacando-se o curta "A mais forte". Em 2021, segue com projetos de cine-teatro e cinema.

 

 

Leônidas Soares (Porto Alegre / RS)

Cenógrafo, figurinista e designer gráfico. É doutor em belas artes/design cenográfico pela Universidad Complutense de Madrid (2016). Graduado em design gráfico e de produto pela Ulbra e mestre em ergonomia/usabilidade de interfaces digitais ( pelo PPGEP/UFRGS. Foi professor na Unisinos, Feevale, Senac e Centro Tecnológico Parobé. Atualmente é professor do Departamento de Design e Expressão Gráfica (DEG/UFRGS). Integra a equipe do Laboratório de Artefatos Digitais, da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (UFRGS). No DEG foi responsável por diversos cursos de extensão nas áreas de cenografia, maquiagem cênica, iluminação para teatro e audiovisual. Foi premiado no Concurso Provincial de Teatro de Burgos/Espanha (2016) pelo melhor figurino e indicado a melhor cenário e design gráfico.

 

 

Livia Loureiro (São Paulo / SP)

Cenógrafa, professora e arquiteta. Mestre em artes visuais pela UNICAMP (2012), onde desenvolveu a pesquisa Flávio Império: desenho de um percurso. Leciona cenografia em cursos e oficinas livres de artes visuais para adultos e crianças, que visam desvelar os processos de criação do desenho e do espaço. Trabalhou no projeto Casa Aberta para Crianças na Casa 1 e leciona cenografia na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. É assistente de cenografia do Teatro União e Olho Vivo (TUOV), colabora com a realização de figurinos, cenografia e objetos cênicos.  Pesquisa cenografia brasileira e acompanha o trabalho de coletivos de teatro na cidade de São Paulo.

 

 

Marcela Mancino (Curitiba / PR)

Artista cênica multimídia, e tecnologista criativa. Bacharela em Artes Cênicas pela UNESPAR-FAP, especialista em Artes Híbridas pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e mestra em Telecomunicações Interativas pela Universidade de Nova Iorque. Expôs trabalho de iluminação e design de projeções na Bienal Internacional de Pequim - Intercâmbio de trabalhos estudantis em design cênico - e na Quadrienal de Praga 2015. Seu duo de performances audiovisuais "Âmago || Superfície" foi apresentado em diversos eventos (EUA, Brasil e PQ 2019). Desenvolve plataformas digitais, como a ParanáFlix - acervo de cinema produzido no Paraná - , a Autobiografia de todas nós - escuta e memória das mulheres iluminadoras da cidade de Curitiba -, e a versão digital da videoinstalação About Academia, do artista catalão Antoni Muntadas.

 

 

Michelle Augusto (Rio de Janeiro / RJ)

Artista visual, designer de moda e figurino, professora e pesquisadora de patrimônio e memória associados a processos criativos artísticos de moda, artes cênicas, carnaval, sustentabilidade e upcycling têxtil. Doutoranda em Belas Artes - Universidade de Lisboa, na especialidade de Ciências da Arte e do Patrimônio, mestre em Artes Visuais - UFRJ, graduação em Figurino - UFRJ. Complementação em Fashion Folio and Creative Techniques com Renata Estefan (atualmente designer da Hérmes). Docente do curso técnico de Produção de Moda da FAETEC (2009 - atual), atuou como docente na Escola de Belas Artes da UFRJ (2009-2010 - 2016-2018), em cursos de artes cênicas. Colaboradora do projeto Studio Criativo, criação e desenho de moda. Pesquisa sobre patrimônio e memória com inspiração na prática artística de moda e figurino.

 

 

Nadia Luciani (Curitiba / PR)

Designer, iluminadora e ​​professora. Graduada em Comunicação Visual - Design Gráfico (UFPR), mestre em teatro (CEAC/UDESC), doutora em artes cênicas (ECA/USP) com estágio de pesquisa sanduíche (PDSE - CAPES/PrInt) no Laboratório Lumière de Spectacle do CEAC (Universidade de Lille, França), sob a orientação de Véronique Perruchon. Iluminadora há quase 30 anos, iniciou como professora do curso de Design da UFPR e da Faculdade de Artes do Paraná, hoje UNESPAR. Coordena os projetos de Extensão LABIC - Laboratório de Iluminação Cênica da FAP e o Atelier de Teatro da UNESPAR/Aliança Francesa de Curitiba, é diretora do Escritório de Relações Internacionais da universidade e leciona na pós-graduação em Cenografia da UTFPR e no MBA em Dança das Faculdades Inspirar.


 

Renata Marques (Rio de Janeiro / RJ)

Advogada e Bibliotecária, agente de artistas plásticos e designers. Pós-Graduação em gestão do conhecimento e inteligência empresarial pela COPPE-UFRJ. Inglês na Kaplan School de Nova York, EUA; alemão na Berlitz Schule de Munique, na Alemanha. Cursos básico e avançado de projetos pelo PMI - Project Management Institute, RJ. Tem como atividades principais o desenvolvimento de parcerias culturais, supervisão de equipes, submissão de projetos de captação de cultura para apoio da Lei Aldir Blanc e das leis estaduais e municipais de incentivo à cultura, inclusive orçamento e cronograma; consultoria e assessoria, busca de patrocínio cultural e residências internacionais; negociação de contratos e autorização de uso de imagens, colaborações com marcas de moda e confecção e empresas, dentre outras atividades.

 

 

Ricardo Malveira (Palmas / TO)

Artista visual e da cena. e  Pós-doutorando em Artes da Cena no PPGAC – EMAC - Universidade Federal de Goiais - UFG, doutor e mestre em artes cênicas no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia - PPGAC – UFBA, graduado em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas na Universidade Estadual de Montes Claros – Unimontes; Graduando em Artes Visuais EAD  FAV/UFG. Participa dos GT/ABRACE; Imagem, Mito e Cena e Poéticas Espaciais, Visuais e Sonoras. É integrante do grupo de pesquisa da Transver – UFT; coordenador do projeto Rastros: visualidades, imaginários e teatralituras na cena – UFT e professor na Universidade Federal do Tocantins UFT/Palmas no curso de licenciatura em teatro. É brincante Catopê no Congado de Montes Claros (MG).

 

 

Rodrigo Frota (Fortaleza / CE)

Ator, professor, cenógrafo, diretor de arte e ilustrador. Bacharel em interpretação teatral pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), é mestre e doutorando pelo PPGAC da mesma universidade. Atualmente é professor efetivo da Universidade Regional do Cariri (URCA) e líder do grupo de pesquisa VISUCCA (Visualidades da cena - Cariri). Como intérprete, atuou em mais de 20 espetáculos teatrais, tendo também integrado o elenco de 15 curtas metragens e 2 longas.  Nos últimos quatorze anos criou mais de 150 cenografias para teatro, shows musicais, expografias, e espetáculos de dança. No audiovisual, assinou oito direções de arte; “Pacarrete” e “Todas as vidas de Telma” são os últimos. Possui oito prêmios na área da cenografia e direção de arte, incluindo prêmios nacionais e regionais.


 

Rosane Muniz (Rio de Janeiro / RJ e São Paulo / SP)

Artista cênica, jornalista, curadora, pesquisadora, professora e figurinista. Doutora e mestra em artes cênicas (ECA/USP). É autora do livro Vestindo os nus: o figurino em cena (Senac Rio, 2004); editora do Diário de Pesquisadores: traje da cena (2012), dos catálogos do Brasil na Quadrienal de Praga (PQ) 2011 e 2015 e criadora do canal "Vestindo a cena" e do projeto "Designers à beira do abismo". É vice-coordenadora da subcomissão de figurino da Organização Internacional de Cenógrafos, Técnicos e Arquitetos Teatrais - OISTAT e foi curadora nos times brasileiros da PQ 2011 e 2015. Palestrante e professora convidada internacionalmente, é professora na pós-graduação da Belas Artes/SP, Senac/SP e UFRGS e da formação na SP Escola de Teatro. É integrante da ABRACE, OISTAT, IFTR e uma das idealizadoras da teiabr.


 

Stéphanie Fretin (São Paulo / SP)

Arquiteta, cenógrafa e artista da dança. Graduada em arquitetura e urbanismo pela Escola da Cidade, em 2013. Trabalha com arquitetura, cenografia teatral, expografia e dança contemporânea. Atua, desde 2018, como assistente de cenografia e expografia. Foi diretora de arte de "Cara Palavra" (2020), junto a André Cortez. Em parceria com a arquiteta Carmela Rocha, criou o espaço expográfico de diversas exposições no Instituto Itaú Cultural (SP) e no SESC Belenzinho (SP). Em 2019, foi coordenadora assistente do curso de cenografia da Escola Britânica de Artes Criativas (EBAC). No campo da dança, desenvolve pesquisas e atuações autorais, em produções independentes de espetáculos, performances e videodanças.